domingo, 24 de agosto de 2014

Sarau da Onça e Grupo Ágape na Bienal do Livro de São Paulo e outras quebradas

Alaíde Santana, Vinícius Almeida, Evanilson Alves, GOG, Sandro Sussuarana e Valdeck Almeida de Jesus (artistas da palavra)

Sandro Sussuarana, Evanilson Alves e Alaíde Santana chagaram à capital paulista para lançar o livro “O diferencial da Favela: Poesias Quebradas de Quebrada” (Editora Galinha Pulando) e participar de saraus e encontros culturais na terra da garoa. No dia 24 de agosto, das 14 às 16 horas, o trio esteve no estande da União Brasileira de Escritores (UBE-SP), onde lançou o livro e deu a voz com recital de poemas do grupo e de autores que inspiram o Sarau da Onça como Sérgio Vaz e GOG. Aliás, Sandro e Sérgio Vaz, juntamente com Zezé Olukemi (ilustrador do livro da onça), estarão na Festa Literária da Chapada Diamantina, na Bahia, em setembro próximo.

A onça correu solta na cidade. Desde o dia 20 de agosto que os representantes do Sarau da Onça têm participado da cena cultural do sudeste e fazendo sucesso por onde passa. Ciceroneado por Vinícius Almeida, Conselheiro Nacional da Juventude – Conjuve e APN’s (Agentes de Pastoral Negro), Sandro, Evanilson e Alaíde foram ao Sarau da Cooperifa onde recitaram e se encontraram com Sérgio Vaz; depois, deram uma palinha junto com o Coletivo A Rua na Praça Roosevelt, durante o debate sobre “Ditadura Militar ontem e hoje e o Fim da Polícia”, fizeram intervenção poética no CEU Tiquatira, participaram da Caminhada Nacional contra a Violência e o Extermínio de Negros, na Avenida Paulista; na sexta-feira palestraram sobre a cena cultural periférica e o Sarau da Onça, com participação de Valdeck Almeida de Jesus e Rodrigo Ciríaco, no Centro Cultural da Penha, a convite de Ana Carolina.


E no meio do caminho, tinha um poeta, tinha um escritor, tinha um amigo, tinha um afeto. Em todas as encruzas sempre havia um abraço. Alan da Rosa, Édson Neres, Akins Kintê, GOG, Mel Duarte, e tantas outras estrelas da Constelação de Artistas da Palavra, em encontros na rua, na caminhada, no metrô; onde quer que a onça passasse era abraçada, acariciada, reconhecida e aplaudida. Se tem uma família que se respeita, acolhe a quem chega, supera tudo em nome do amor à arte, esta família se chama Sarau da Onça. Dessa vez, o pulo da onça foi da Sussuarana para a maior cidade do Brasil. É disso que estou falando!



Fonte: Galinha Pulando

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Fábio Haendel lança CD musical em parceria com escritores



O lançamento do CD "Nuvens" será no dia 13 de setembro, às 20h, no Teatro do Goethe Institut - ICBA, com participações especiais dos escritores Kátia Borges, Nílson Galvão, Mariana Paiva e da cantora Illy Gouveia
Não é comum que se escreva um release na primeira pessoa. Mas tomei, sem cerimônia, a liberdade. Tive a oportunidade de conviver com Fábio Haendel e percebi que ele é ser humano privilegiado pelo fato de ter a arte como salvadora dos dias em qualquer tempo e espaço. Não é à toa que Haendel é visivelmente inquieto. Possui radares e antenas magnetizadas que emitem informações em cadernetas espiral baratas.
Vejo o homem que alcança lugar próprio, levado pelos pincéis e lápis com o que desenha quadrinhos em movimentos cada vez mais crescentes pela prática de ilustrar livros. E aponto também o trovador urbano que cospe quadras, versos, repentes, emboladas. Bardo, rápido no gatilho do pensamento. Alinhava o poema na canção pra enfrentar tantos desafios: os de hoje e os de outrora. Assim vai limpando a dor de alma, entende a sina e se reinventa aprendiz do mundo pela arte.
Para tanto é preciso coragem, homem. Como se pode perceber no segundo CD de Fábio Haendel, "Nuvens", que tem a direção artística de Thiago Romero com co-direção de Georgenes Isaac e a produção musical de Braulio Passos. A produtora Lígia Benigno assina a coordenação geral.
Fábio (voz, violão e gaita) apresenta um trabalho medido e pensado a partir do número de faixas: são oito canções divididas em autoria e participações. Entre apostar na liquidez da sonoridade fácil ou marcar território próprio, ele opta pelo caminho árduo da geografia do mercado fonográfico, arriscando a chance de imprimir a verdade do artista cancioneiro. Acompanhado pelos músicos da banda base, Estevam Dantas (piano), Pedro Dantas (bateria), Henrique Duarte (baixo), João Trevisani (guitarra) e Saulo Tupinambá (percussão), e participações de Willyto Haendel (baixo acústico), Mário Soares (violino), Ivan Sacerdote (clarineta), Fabrício Dalla Vecchia (trombone), Gil Mário Santos (trompete) e Willy Haendel (violão clássico e bandolim), "Nuvens" chega pra fazer dançar, pensar, celebrar a novidade e não faz mal a ninguém.
Nuvens - Histórias das faixas
"Nuvens" (Fábio Haendel) - é faixa inicial, uma balada  que já anima e manda verbo: "aquele que mesmo vendado ver o real e segue o sonho de um doido marginal; estava escrito na testa, mas você não entendeu; diante do espelho viu o contrário do que leu".
"Cada Cabeça"  (Fábio Haendel) - é um mundo onde cabe todos e esta criação. " De grão em grão escrevo uma canção; cada cabeça é um mundo de sentimentos profundos; então use sua imaginação".
"Curta Metragem" (Nílson Galvão e Fábio Haendel) - com o poeta e jornalista Nílson Galvão é batida de trilha sonora para western latino com metais de Ivan Sacerdote (clarineta), Fabrício Dalla Vecchia (trombone) e Gil Mário Santos (trompete). Nem todo mundo se vende por um punhado de dólares. "O abre alas de histórias ínfimas, eis o filme, sangue do filme, eis o dia, na vida de ninguém,  sua saga pela cidade, singrando a manhã, riscando na pedra de manhã, essa história qualquer de uma luz, eis o homem".
"Vestir despir" (Fábio Haendel) - é outra balada pra tocar no rádio e a gente cantar no carro, mas também enquanto escolhe o figurino do dia ou da noite. "Vestir ou se despir o importante é saber por onde ir; cada um tem seu ponto de vista; se vista de acordo com que você acredita; o diferente é o louco e o normal é o igual na sociedade das aparências".
"Sábios Blues" (Nílson Galvão e Fábio Haendel) - também na companhia do poeta Nílson Galvão - quem toca violão e gaita tem presença de blues no gingado e na alma e o poema de Galvão não é raso. "Daremos um jeito, durante o mergulho, de sermos banais como todos os seres que somem na areia, na areia sem dono sem deus, sem razão, sem fazer do desejo essa cruz".
"Poemas Sonhados" (Mariana Paiva e Fábio Haendel) - parceria com a escritora e jornalista Mariana Paiva. Divide vocais com a cantora Illy Gouveia. Uma balada country em nome do pai e do filho para o encontro do bandolim e gaita dos Haendel  (Willy é criador e Fábio é cria) - "sonhei com poemas que preferi não despertar para escrever; desculpe pelas palavras rudes que machucaram, eram uma tentativa desastrada de encostar em você; e agora que está provado que eu te machuco e que você me machuca, que nós dois, ainda existimos mesmo".
"Beleza moça" (Kátia Borges e Fábio Haendel) - é um poema musicado da escritora e jornalista Kátia Borges. Vai soar como provocação para quem prefere se plastificar à envelhecer dignamente. Os versos lembram à moça, que beleza "é barco que parte" e adverte, "não tente atracar a sua num cais de botox". E a poesia é também o som do violino do músico Mário Soares, do bandolim de Willy Haendel e do baixo de  Willyto Haendel.
"Morro do submundo" (Fábio Haendel) - é rock n' roll com o privilégio de solos de gaita e piano, além dos sopros do trio Ivan Sacerdote (clarineta), Fabrício Dalla Vecchia (trombone) e Gil Mário Santos (trompete). "Vai subindo o morro do submundo, vai sumindo as cartas dos donos do mundo e eu já cansei desse assunto de procurar os pedaços perdidos no fundo... Subindo de escada ou de morro tem sempre alguém pedindo socorro... É melhor morar no mato com jacaré do que ser um pato com ratoeira no pé". Tá ligado?
FICHA TÉCNICA
Composições, voz, violão e gaita: Fábio Haendel
Músicos:
Baixo- Henrique Duarte
Guitarra- João Trevisani
Vioão e bandolim- Willy Haendel
Piano- Estevam Dantas
Bateria- Pedro Dantas
Percussão- Saulo Tácio
Produção Musical: Bráulio Passos
Cantora convidada: Illy Gouveia
Direção artística: Thiago Romero
Co-direção: Georgenes Isaac
Iluminação: Luiz Guimarães
Poesias: Mariana Paiva, Kátia Borges e Nilson Galvão
Preparação vocal: Marcelo Jardim
Programação Visual: Vika Lima
Vídeos: Paulo Bittencout
Textos: Maristela Sena
Coordenação de Produção: Lígia Benigno
SERVIÇO:
O QUÊ: Lançamento do CD "Nuvens" de Fábio Haendel
QUANDO: 13 de setembro, sábado, 20h
ONDE: Teatro do Goethe Institut- ICBA - Corredor da Vitória, Salvador-BA
QUANTO: R$20,00 (inteira+CD)
CONTATO: Lígia Benigno (71)3018-6062/9272-0745 (tim)

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Sarau da Onça na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Sandro Sussuarana, Evanilson Alves e Alaíde Santana (Imagem: selfie)

 A antologia "O Diferencial da Favela: poesias quebradas de quebrada", organizada pela equipe que realiza o Sarau da Onça é composta de poemas de 50 autores de Salvador e será lançada no estande da União Brasileira de Escritores (UBE), dia 24 de agosto de 2014, a partir das 16 horas, durante a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Estarão presentes Sandro Sussuarana, Evanilson Alves, Alaíde Santana e Valdeck Almeida de Jesus (editora Galinha Pulando), organizador e editor, respectivamente. Na capital paulista, além da bienal, os poetas participam de um sarau na Biblioteca José Paulo Paes (Centro Cultural da Penha) e outras atividades literárias pela cidade.

A obra literária tem capa ilustrada por Zezé Olukemi e fez parte do I Festival de Arte e Cultura que o Sarau da Onça, projeto selecionado no edital “Arte em Toda Parte”, em 2013, patrocinado pela Fundação Gregório de Matos, ligada à Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Cultura da Cidade do Salvador.

Os poetas do livro são Denisson Palumbo, Jairo Pinto, Gleise Silva Sousa, Alan Felix, Marconi Machado, Paulo Vendaval, Silvana Oliveira, Varenka de Fátima Araújo, William Silva, Sidney Fortes, Renato Almeida, Raphael Mukumbi, Audelina Macieira, Carlos Daliga, Cleidinalva, Cristiano Sousa, Crispin, Ednaldo Muniz, Evanilson Alves dos Santos, Gonesa Gonçalves, Sandro Sussuarana, Sil Kaiala, Valter Bitencourt Junior, Rodrigo Gomes da Silva, Vanessa Cruz, Osmar Junior, Maria da Hora, Luiz Menezes de Miranda, Joyce Melo, Heider Santos Gonzaga, Adalmir Chabi, Verônica Soares, Alaíde Santana, Egerce, Gildásio Barreto, Hildete Monte Verde, Giovane Sobrevivente, Jacquinha Nogueira, Leandro Mota, Joane Macieira, Jefferson Mirnauivitã, Fábio Haendel, Lane Silva, Jocevaldo Santiago, Luciana Ribeiro, Jorge Augusto, Maiara dos Anjos Silva, Josémário: O Poeta Caipira, Marcelo Oliveira e Renata Rabelo.

Foram destacadas as Menções Honrosas aos textos: Brazileiro - Alan Felix, Pena da Sorte - Fábio Haendel, Berimbau Barroco - Denisson Palumbo, Convidativo - Renato Almeida, Quilombo Rio Dos Macacos - Paulo Vendaval, Feice buzuk - Vanessa Cruz, Intimidade - Hildete Monte Verde, Tia Anastácia - Giovane Sobrevivente, Mundo paralelo - Heider Gonzaga, Prenda-me - Sil Kaiala.

Coordenado pelo estudante de Serviço Social Sandro Ribeiro dos Santos (Sandro Sussuarana), o Sarau da Onça atua em Sussuarana nas dependências do Espaço CENPAH – Centro de Pastoral Afro, pertencente à Paróquia São Daniel Comboni, em Salvador-BA. A cada quinze dias são realizados saraus, apresentações musicais, leituras poéticas e canjas de hip hop e outras atividades culturais.

Serviço
O que: Lançamento do livro “O diferencial da favela. Poesias quebradas de quebrada”
Quando: 24 de agosto de 2014, às 16hs
Onde: Estande da União Brasileira de Escritores (UBE) – 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Fones: 71 9331 5781, 8454 8187 e 71 9345 5255
Editora: Galinha Pulando - ISBN: 978.85.66465.12.9
Páginas: 115
Assessoria de Imprensa: Valdeck Almeida de Jesus, 71 9345 5255

Fonte: Galinha Pulando

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Cadastramento para eleições do Conselho Estadual de Cultura começa nesta segunda, 18 de agosto




Ascom: Conselho Estadual de Cultura do Estado da Bahia

Está disponível, a partir da próxima segunda (18.08), a plataforma virtual de cadastro destinada a candidatos e eleitores que desejam participar do processo eleitoral do Conselho Estadual de Cultura da Bahia (CEC-BA). Para se cadastrar, basta acessar a o portal do CEC no endereço eletrônico conselho.cultura.ba.gov.br e clicar no banner “Eleições para o Conselho Estadual de Cultura”.


O pleito definirá os representantes dos segmentos culturais e processos do fazer cultural da sociedade civil no órgão. Candidatos e eleitores devem atuar em um dos segmentos culturais ou em um dos processos do fazer cultural. Esta atuação deve ser descrita de forma sucinta no campo currículo do formulário de inscrição. O prazo de cadastramento termina no dia 17 de outubro de 2014.

Serão eleitos 20 representantes, sendo 10 titulares e 10 suplentes, que irão compor 1/3 do total das vagas no órgão. Com a eleição, o CEC passará a ter dois terços de membros da sociedade civil e um terço de conselheiros indicados pelo poder público, conforme previsto na Lei Orgânica da Cultura da Bahia. Um terço das vagas da sociedade civil é destinado aos representantes de Territórios de Identidade Cultural, eleitos na V Conferência Estadual de Cultura, realizada em outubro de 2013, em Camaçari. As vagas do poder público ainda serão indicadas pelo governo.

Os novos conselheiros terão a função de contribuir para o cumprimento dos objetivos da Política Estadual de Cultura e fortalecer o seu papel como órgão colegiado da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Entre suas obrigações, está acompanhar e avaliar o planejamento e a execução da política cultural do Estado.

Fundado em 1967, o Conselho Estadual de Cultura da Bahia vive um momento ímpar na sua história. Será a primeira vez em 47 anos que suas portas serão abertas para conselheiros da sociedade civil escolhidos por meio de eleição. 

CADASTRAMENTO E PRAZOS
De 18.08 a 17.10: Prazo para os eleitores e candidatos se cadastrarem na plataforma virtual disponível no portal do CEC-BA

Na plataforma, deve-se clicar na opção “clique aqui para se cadastrar como eleitor ou candidato no processo eleitoral”.  Após a escolha entre as opções eleitor ou eleitor/candidato, deve-se preencher as informações solicitadas e aceitar as declarações que regulamentam a inscrição.

Até o dia 25.10: Um e-mail da comissão eleitoral com o resultado da avaliação do cadastro será enviado aos participantes.

De 06.10 a 28.10: Prazo para envio do recurso no caso dos cadastros que foram identificadas pendências que impossibilitou sua aceitação.

Até o dia 31.10: Divulgação da lista definitiva dos cadastrados aptos a votarem e a serem votados no pleito.

De 03 a 23.11: Período em que aqueles que tiveram seus cadastros validados devem acessar novamente a plataforma virtual, preencher as informações de acesso cadastradas na “Área do Eleitor” e realizar seu voto.

O calendário completo, que reúne todas as datas relativas ao processo eleitoral, está disponível em conselho.cultura.ba.gov.br/publicada-portaria-que-define-processo-eleitoral-do-conselho-de-cultura-da-bahia/. O decreto que regulamenta o processo eleitoral também está disponibilizado no site do Conselho, na aba Documentos. Mais informações no site do Conselho Estadual de Cultura: conselho.cultura.ba.gov.br.

(14.08.14)
Ascom Conselho Estadual de Cultura:
71.3117-6190
Eder Luis Santana – (71) 9324-9557 / ascom.conselho@gmail.com
Kaiane Terra – (71) 9386-6556 / kaianeterra@gmail.com

terça-feira, 29 de julho de 2014

Editor incentiva pesquisa


O editor brasileiro Roberto Leal pediu, na quinta-feira, em Luanda, para os escritores, em especial os jovens, se manterem actualizados sobre o mundo literário e melhorarem o seu vocabulário.

 

Editor incentiva pesquisa

O editor, que foi o convidado de mais uma edição da iniciativa “Café Literário”, falou sobre “Os desafios da nova produção da literatura contemporânea brasileira” e realçou que a falta de investigação está a tornar os jovens escritores mais “pobres” culturalmente. “Um escritor com fraca fluidez de vocabulário, dificilmente consegue publicar bons livros”, disse.

O editor aproveitou a palestra para apresentar o seu novo livro “C’alô & Crónicas Feridas”, sobre o relacionamento de uma milionária de origem judia e um rapaz pobre. O livro foi apresentado pelo escritor John Bella. 

A cerimónia serviu ainda para realizar uma sessão de venda de alguns livros da editora brasileira Òmnira. 

Roberto Leal disse que vai manter um encontro com alguns autores nacionais, na União dos Escritores Angolanos (UEA). Além deste encontro, informou que também pretende visitar outras províncias e falar com os seus escritores.

Presidente da União Baiana de Escritores (UBESC), Roberto Leal nasceu em Salvador, a 29 de Abril de 1962. O editor tem mantido um abrangente intercâmbio com escritores contemporâneos de países de língua portuguesa, através da revista Òmnira.


Fonte: Jornal de Angola

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Capital baiana comemora oito séculos da Língua Portuguesa

Valdeck Almeida de Jesus, Varenka de Fátima Araújo e Aleilton Fonseca estão entre os homenageados

 

 

A Literarte – Associação Internacional de Escritores e Artistas juntamente com o Núcleo de Letras e Artes de Lisboa, e Academia de Letras, Música e Artes de Salvador promovem a comemoração dos 8 séculos da Língua Portuguesa com encontro nos dias 8 e 9 de agosto de 2014, cuja programação inclui música, saraus de poesia, seminário sobre Abdias Nascimento - apresentado pela Escritora e Especialista em Literatura Afro–brasileira Cecy Barbosa Campos -, visita ao Gabinete Português de Leitura e homenagens a artistas e personalidades baianas, dentre eles: Valdeck Almeida de Jesus, Varenka de Fátima Araújo, Aleilton Fonseca, ACM Neto, Albino Rubim, Célia Sacramento, Consuelo Ponde, Luislinda Valois, Mario Cravo, Nana Caymmi, Tonho Matéria, Mestre King, Beatriz Fiquer, Cássio Cavalcante, Clara Machado, Dinorá Couto Cançado, Eulália Costa, Irma Galhardo, José Araújo, Roberto Ferrari e Sônia Nogueira.

Serão homenageadas pessoas que, de forma significativa, contribuíram com a Cultura Lusófona aqui no Brasil com repercussão nos demais países. Estarão presentes diversas delegações representando os países de Língua Portuguesa, embaixadores e diplomatas, além dos presidentes da Literarte, do Núcleo de Letras e Artes de Lisboa e da Presidente da A.L.M.A.S, Izabelle Valladares, Samuel Pimenta e Adriana Luz, respectivamente.

Valdeck Almeida de Jesus - Jornalista, escritor, poeta e funcionário público federal. Natural de Jequié-BA (1966), adotou a capital da Bahia para viver e fazer arte. É membro da União Brasileira de Escritores (UBE-SP), da União Baiana de Escritores (Ubesc), da Academia de Letras de Jequié, da Academia de Cultura da Bahia, Academia de Letras do Brasil (Seccional Suíça), da Academia de Letras de Teófilo Otoni, Academia Nevense de Letras, Ciências e Artes – ANELCA, Embaixador Universal da Paz (Círculo dos Embaixadores da Paz da Suíça e França), Embaixador da Divine Académie Française des Arts, Lettres et Culture, coordena o Fala Escritor. Autor de quinze livros e coautor de 110 antologias. Organiza um prêmio literário que já publicou mais de 1000 poetas de países lusófonos. Varenka de Fatima Araújo - Cearense de nascimento, baiana de coração.  Reside em Salvador-BA. Figurinista, funcionária pública, formada em Direção Teatral, atriz, maquiadora,  artista plástica,  dançarina,  poetisa e escritora. Participou de quarenta antologias.  Livros solo: “Ela em Versos”, “Fatos e Retratos” e "Varenka de Fátima”. Membro da Academia de Cultura da Bahia, Poetas del Mundo, da Confraria Artistas e Poetas pela Paz, Academia Internacional de Letras de Artes e Ciências de Argentina, da Academia de Letras de Teófilo Otoni-MG. Portal CEN e CEPA - Circulo de Estudo Pensamento e Ação.

Aleilton Fonseca - É baiano, nascido em Firmino Alves, em 1959; é escritor e professor de literatura brasileira; reside em Salvador-BA. Graduado em Letras pela UFBA, fez mestrado na UFPB, e Doutorado em Letras na Universidade de São Paulo; É professor titular Pleno da Universidade Estadual de Feira de Santana, atuando na graduação e no Mestrado em Estudos Literários. Já publicou cerca de 20 livros, entre poesia, ensaio, conto e romance. Faz parte de antologias e coletâneas nacionais e internacionais de poesia, ficção e ensaios. Recebeu o Prêmio Nacional Herberto Sales 2001– de contos, da ALB, na Bahia, e o Prêmio Marcos Almir Madeira, da UBE-RJ, em 2004. Em 2003, foi professor convidado na Universidade de Artois, na França. Em 2013, recebeu o título de "Profesor de Honor de Humanidades", outorgado pela Universidad del Norte, da cidade de Assunção, Paraguai. Pertence à Academia de Letras da Bahia, à Academia de Letras de Itabuna, à UBE-SP e ao PEN Clube do Brasil.

Programação - Sexta–Feira dia 08/08
09hs saída do hotel
10h - Feira Literária no colégio Equipe (Rua Ibicaraí, 105 – Centro – Lauro de Freitas-BA)
12:30h – Saída para o Centro de Salvador, parada próxima ao Gabinete Português, na Piedade.
13:30h – Almoço.
15h - Visita Guiada ao Gabinete Português de Leitura
16h – Retorno ao Hotel
16:30h - Recepção dos Neo Acadêmicos no saguão do Hotel, por Felipe Telles (Literarte), com entrega de livros para vendas, recepção dos participantes no Workshop sobre Literatura Afro-brasileira e Inscrição para declamar ou recitar no Sarau.
17h - Abertura do Workshop com a Professora Cecy Barbosa Campos.
18:20h - Abertura do Sarau e da Feirinha Literária (apresentações musicais de Daniel Santos, Jubiabá da Bahia e Marcos Assumpção)
20h - Abertura da solenidade de tomada de posse na ALMAS (Academia de Letras, Música e Artes de Salvador) no Salão de Festas do Hotel Golden Tulip Rio Vermelho.
21h - Jantar de confraternização no Hotel Golden Tulip Rio Vermelho

Programação - Sábado - 09/08
Encontro às 8:30h na entrada do Hotel, para saída em ônibus de Turismo para visitação dos pontos turísticos:
Mercado Modelo – até às 10h
Elevador Lacerda
Praça Tomé de Souza
1ª Faculdade de medicina do Brasil
Praça Franciscana
Fundação Jorge Amado até 11h
Igreja São Francisco
Pelourinho – saída às 12h, com almoço nas proximidades e, em seguida, visita à Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, cujo passeio se encerra às 14:30h e retorno ao hotel às 15h.
19h - Entrega da Comenda Luís Vaz de Camões do Núcleo de Letras e Artes de Lisboa no Gabinete Português de Leitura a embaixadores, diplomatas e escritores, entre os quais Jorge Amado e Zélia Gatai (homenagens póstumas), Luiz Fausto, Luislinda Valois, Eliane Mariath (Presidente da ALAP), e o grande artista Mário Cravo. 

Programação - Domingo – dia 10/08
Retorno do Grupo para suas cidades - Dia Livre.
Mais informações?

quarta-feira, 23 de julho de 2014

AUTORES BAIANOS PROMOVEM EVENTO EM HOMENAGEM AO DIA NACIONAL DO ESCRITOR

Morgana Gazel

 No dia 25 de julho – Dia Nacional do Escritor – às 19 horas, os escritores Carlos Ribeiro, da Academia de Letras da Bahia; Nadja Nunes, presidente do Conselho editorial da Editora da Universidade do Estado da Bahia-EDUNEB e Morgana Gazel, da União Brasileira de Escritores – UBE participam do seminário “O Poder de Transformação da Literatura”, que será realizado na livraria Saraiva do Salvador Shopping. O evento, que homenageia os artistas da palavra pelo seu dia, será mediado pelo jornalista Carlos Souza Yeshua. Ao final da mesa-redonda Morgana autografa a 3º edição do livro Enseada do Segredo.

A finalidade do encontro é mostrar como a leitura de gêneros literários, a exemplo de romances, poemas e contos são capazes de provocar nos leitores mudanças inimagináveis. “A leitura é um ‘santo remédio’, sobretudo para curar os males da alma. E pensando nesta premissa que queremos apresentar a leitura a partir de novas perspectivas”, explica Carlos Souza, o mediador da mesa.  Este tema “O Poder de Transformação da Literatura”, que já foi apresentado em outros espaços, nasceu a partir de diálogos entre Carlos Souza, o escritor Mayrant Gallo e a psicóloga Morgana Gazel, que utiliza a indicação de leitura como forma de aliviar traumas e dores de pacientes que buscam melhor qualidade de vida e entendimento do mundo em sua volta e de si mesmo. 

Em sua fala, a escritora vai mostrar porque é tão eficaz a autotransformação através da literatura. “Nos últimos dez anos de minha atuação como psicóloga clínica, observei que realmente algumas histórias fictícias produzem efeitos positivos na conduta humana. E descobri o método que é necessário para que de fato haja estes efeitos”.  Em seu trabalho, a psicóloga costuma utilizar os contos de fada e populares, onde os dramas humanos são representados simbolicamente. Já os romances, ela aproveita apenas aqueles que tratam dos dramas humanos de forma honesta e aprofundada.

Dia Nacional do Escritor - O dia 25 de julho é um dia dedicado a homenagear o escritor brasileiro. O surgimento da data se deu a partir da década de 60, através de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, quando realizaram o I Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores - UBE, do Rio de Janeiro a que os dois eram presidente e vice-presidente, respectivamente.
Palestrantes – Carlos Ribeiro é jornalista, ficcionista e doutor em literatura pela Universidade Federal da Bahia, é autor dos livros: Já vai Longe o Tempo das Baleias, O Homem e o Labirinto, O Chamado da Noite, O Visitante Noturno, Caçador de Ventos e Melancolias: um estudo da lírica nas crônicas de Rubem Braga, Abismo, Lunaris, À luz das narrativas: escritos sobre obras e autores e Contos de sexta-feira, dentre outros. É membro da Academia de Letras da Bahia e professor do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB/Cachoeira.

Morgana Gazel - É psicóloga e escritora. Após vários anos de prática como psicóloga, percebendo que era a literatura que verdadeiramente a atraía, começou a se dedicar diligentemente à escrita de romances e, em horas vagas, de poemas e contos. Em seus textos retrata os dramas humanos considerando a subjetividade inserida no meio familiar, social e cultural.  Publicou o romance, Enseada do Segredo, já na 3º edição e Liberdade Negada. É membro da Rede de Escritoras Brasileira - REBRA da e da União Brasileira de Escritores - UBE.

Nadja Nunes é Mestre em Educação, Especialista em Direito Constitucional da Criança e do Adolescente, em Currículo e Metodologia do Ensino Superior. Graduada em Letras Vernáculas e Pedagogia. Como professora universitária, verticalizou o seu conhecimento nas áreas de aquisição da linguagem, leitura, formação de leitores e produção científica. Entre seus livros estão: A menina que tinha medo de vento, publicado em 2010 pelo selo Contexto & Arte, A menina do dente mole também publicado no mesmo selo em 2011 e tem sido adotado em consultórios de odontopediatras no Brasil, além das bibliotecas escolares. Em 2012 publicou Isa Isa Isabela pela DELUXIII Criações Editoriais.
Carlos Souza Yeshua/Morgana Gazel
Serviço:
O que: Seminário O Poder de Transformação da Literatura – Dia Nacional o Escritor
Onde: Livraria Saraiva do Salvador Shopping – Av. Tancredo Neves, 2915 – Caminho das Árvores.
Quando: Dia 25 de julho (sexta-feira), às 19h.
Entrada: Gratuita

Informações: (71) 8122-7231 

Fonte: Blog de Cymar Gaivota